quinta-feira, 22 de maio de 2008

Apenas as veias a transportarem, ao ritmo de uma sístole, o alimento das células. De todas elas. Que te pertencem, e consequentemente eu, como ser pluricelular que sou. Isto tudo para te dizer que cada uma das minhas células te respira. Ao ritmo de sístoles, de diástoles e de marés... umas vezes mais salgadas que outras...

2 comentários:

Anónimo disse...

Simplesmente sublime...

3za disse...

Lindo Vocas! Finalmente cheguei até aqui! Beijinhos da 3za