terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O2

Uma molécula apenas. Dois átomos juntinhos. Vitais.

Vende-se em garrafas artilhadas. 3mg durante a noite/1,5mg de dia.

No entanto não penetra em brônquios congestionados, cansados e sem força para exsudar.

Tira-me o ar, vê-lo ali comprimido nas garrafas e, em falsete, tentar e não ser já capaz de oxigenar as células que se fazem frias e roxas...

Tira-me o ar sentir que o oxigénio deixa de ser vital quando já não se tem força...

Quase que parece aqueles amigos que só estão na altura dos copos...




1 comentário:

2ora disse...

E aqui estou eu em frente deste monitor sem voz nem expressão (como Ele agora).
Senti vontade de aqui vir, como se este gesto me aproximasse de ti.
Tenho uma janela aberta mas não vejo borboletas...
Dia triste. Ainda bem que tens uma história; a última e derradeira história contada por Ele. Para sempre | Adoro-te, irmã do coração.
Mil beijos