quarta-feira, 4 de junho de 2008

Uma página em branco é sempre uma tentação. Ocupá-la de pensamentos e sensações, desenhando letras que nos levarão, de mãos dadas, por caminhos ora belos ora feios, ora alegres ora tristes como uma morte.
Olhei a folha. Vazia ali para mim. Lembrei-me de palavras que me levariam a ti. Não quero... quem dera os pensamentos tirassem férias, quanto mais cravá-los numa folha, em traços fortes, de uma tinta inapagável como tu...

4 comentários:

Maguetas disse...

E, no entanto, a nossa alma não permite que as folhas fiquem brancas, porque um pouco do sentimento sempre se alivia no encher de pequenas patinhas negras no branco virgem do papel... caracteres compreensíveis apenas para aqueles pensamentos que nos voam na cabeça tonta!
"Excelente" será suficiente palavra para descrever este teu desabafo?

Alcides disse...

Olá! Bons textos..boa escolha de palavras repletas de profundidade..bom Blog..pus um link no meu blog para as pessoas que o lêem passarem tb por aqui.Beijo

Anónimo disse...

Numa tarde campestre repleta de "fotografias" e imagens mil duma paisagem maravilhosa, ao volante do meu jipe, deparei-me com uma folha em branco quase esquecida em que o titulo era "Tempo desajustado". Ao pensamento em causa deparei-me com o momento em que me "cruzei" com alguém que rapidamente se tornou muito especial, só que...infelizmente... na hora errada. Lamento o facto, mas fico grato por ainda assim "me ter cruzado". Terei eu de viver com esta página quase em branco? Ou apenas eliminá-la do meu dicionário de vida, chegando á conclusão de que o conceito de tempo desajustado não existe?
Agora que acabei a minha volta no UMM, vou parar para abastecer o depósito e continuar a passear com vista a decifrar outras páginas em branco do meu dicionário...

youssef disse...

deixar de pensar... a utopia de tanta gente...uma espécie de nirvana mental...
mais complicado ainda quando o sentimento é denso, pesado, profundo...ou a ausência física se torna mais difícil de suportar...
mas para isso existe a folha, branca e amiga, que nos recebe os desabafos quando amigos verdadeiros não nos cercam nem ouvem...
enfim...pequenos dramas de todas as vidas...
e no entanto...
e no entanto este teu blog é a prova que alguma angústia sublima a palavra...
e ela fica tão bonita, assim escrita...
"excelente" será, como já foi dito antes de mim...
parabéns, Vocas!