terça-feira, 13 de abril de 2010


Era o mar, o teu cabelo de miúdo aos caracóis...
Era a vaga que naveguei neste barco de papel onde hoje me afundo...

4 comentários:

Anónimo disse...

Tão bonito, Vocas! Como é que consegues escrever assim?
Beijinhos, Filipa

Anónimo disse...

Vou construir um barco de madeira

oıɹóso ǝʇɹɐnp ɐɹop disse...

Lindo! :)
Beijinhos

Anónimo disse...

Também acho lindo.
Consegui visualisar perfeitamente.
Bjs,