sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

E é sempre o mar que busco e páro a contemplar na sua beleza compassada de vagas brandas...
É sempre a ele que recorro para te encontrar...
A areia que se molda aos pés a querer fazer lembrar o teu colo...
E a cantilena pausada das mesmas ondas onde me ensinaste a nadar...

2 comentários:

sandro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
sandro disse...

Algum motivo especial para a remoção do meu comentário? :-(